“Festividades do Glorioso São Sebastião na região do Marajó” pode ser a próxima celebração registrada como Patrimônio Cultural do Brasil pelo IPHAN

São Sebastião do Marajó

As celebrações do Glorioso atraem centenas de visitantes ao Marajó, movimentando a economia da região e integrando o calendário festivo paraense

A devoção a São Sebastião na região do Marajó é fundamental para a construção e afirmação da identidade cultural marajoara. Representa a diversidade e a singularidade da região, na forma como se estrutura e se desenvolve, com elementos próprios. Ao mesmo tempo, possui relevância nacional, na medida em que traz elementos essenciais para a memória, a identidade e a formação da sociedade brasileira. Esta é a conclusão do Departamento de Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (DPI/IPHAN) ao avaliar a proposta de Registro das Festividades do Glorioso São Sebastião do Marajó como Patrimônio Cultural do Brasil.

O parecer do DPI destaca ainda a longa continuidade histórica das festividades, realizadas por mais de um século no Marajó.

A proposta de Registro será apreciada pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do IPHAN no próximo dia 27 de novembro, a partir das 10h, em sua sede localizada em Brasília.

Festividades de São Sebastião

O culto a São Sebastião teria surgido no século IV e atingiu o auge entre os séculos XIV e XV. Em Portugal, há pelo menos 92 igrejas em sua homenagem, e no Brasil é padroeiro de 144 paróquias. Provavelmente, essa devoção foi levada à região do Marajó no período da colonização portuguesa.

A partir do pedido realizado pelo Museu do Marajó, com o apoio da Irmandade do Glorioso São Sebastião de Cachoeira do Arari e anuência de outros municípios da região, o registro das celebrações em honra a São Sebastião, tido como protetor e advogado dos marajoaras, simboliza a importância deste santo para o Marajó, despontando como uma das manifestações mais importantes da região.

A mesorregião do Marajó é composta por 16 municípios, distribuídos em três microrregiões. Durante o inventário realizado pelo IPHAN, foi possível identificar a festividade em pelo menos 14 municípios. A instrução do processo de registro teve início em 2007, com a realização da pesquisa em Cachoeira do Arari, sendo complementada no ano de 2009 com a identificação da festividade em todo o Marajó.

No município de Cachoeira do Arari, localizado na microrregião do Arari, a festividade é realizada há mais de 150 anos e atrai centenas de visitantes. Atualmente, a “Festividade em honra ao Glorioso São Sebastião” acontece todos os anos entre os dias 10 e 20 de janeiro, composta por procissões, ladainhas, danças nos barracões, levantação do mastro e arraiás, além de eventos esportivos como a luta marajoara. Nos meses que precedem a festa ocorrem as esmolações, com coleta de donativos para sua realização. Folias e ladainhas expressam o forte sentimento de fé da população local, mesclando elementos do catolicismo oficial com o popular, assim como com a pajelança cabocla.

A manifestação popular na região do Marajó já é reconhecida como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Estado do Pará, pela lei 7.377 de 6 janeiro de 2010.

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

O Conselho que avalia os processos de tombamento e registro é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros, que representam o Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB, o Conselho Internacional de Monumentos e Sítios – Icomos, a Sociedade de Arqueologia Brasileira – SAB, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama, o Ministério da Educação, o Ministério das Cidades, o Ministério do Turismo, o Instituto Brasileiro dos Museus – Ibram, a Associação Brasileira de Antropologia – ABA, e mais 13 representantes da sociedade civil, com especial conhecimento nos campos de atuação do IPHAN.

Ao todo são 28 bens culturais registrado em todo o país, de acordo com o Decreto 3.551 de 4 de agosto de 2000, que institui o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial e cria o Programa Nacional de Patrimônio Imaterial do IPHAN. Caso aprovado pelo Conselho Consultivo, as “Festividades do Glorioso São Sebastião do Marajó” poderá ser o próximo bem inscrito no Livro de Registro das Celebrações, compondo a lista de celebrações registradas juntamente com o Círio de Nossa Senhora de Nazaré/PA, a Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis/GO, a Festa de Sant’Ana de Caicó/RN, Complexo Cultural do Bumba-meu-boi do Maranhão (MA), Festa do Divino de Paraty (RJ) e Festa do Senhor Bom Jesus do Bonfim (BA).

Serviço
74ª Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

Dia: 27 de novembro de 2013, de 10h às 16h
Local: Sede do IPHAN
SEPS 713/913 Bloco D – Ed IPHAN – Asa Sul
Brasília – DF
Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação IPHAN

comunicacao@iphan.gov.br
Adélia Soares – adelia.soares@iphan.gov.br
Mécia Menescal – mecia.menescal@iphan.gov.br
(61) 2024-5476 / 2024-5479
9381-7543
Superintendência do IPHAN-PA
Tássia Estevão – tassia@gabycomunicacao.com.br
(91) 3347-3710 / 8199-7441
Imagem: Três momentos da Procissão dos Vaqueiros em Cachoeira do Arari. INRC-Marajó. Acervo Iphan-PA
Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s